domingo, 9 de agosto de 2009

TALVEZ .

Sentiu uma leve brisa sobre os cabelos , os pensamentos lhe rondavam da mesma forma que antes ou talvez até mais intensos , mais ríspidos , mais frequentes . Não assimilara bem os ultimos acontecimentos ou talvez estivesse tão atônita ; qe escolhera não pensar neles por horas, dias , semanas. Como um bloqueio do subconsciente , pra não sentir dor .
Forçou-se a andar contra o vento. Subiu a ladeira, virou a esquina sem saber muito bem pra onde ia . Era tarde , mas não olhou pra trás .
Se sentia a vontade só . Ultimamente , fora sido obrigada a conviver com muitas pessoas aos quais ele sentia alem da vontade de rir , pena. Eram pessoas mesquinhas , mal resolvidas e que adoravam comentar da vida alheia ; coisa qe ela repugnava com todas suas forças... Pessoas que viviam em função de diversões bestas , autodestrutivas e sem fundamento . Algumas dessas pessoas se ashavam superiores por algum motivo que ela desconhecia.
Tinha chegado em seu lugar favorito: uma rua, coberta de folhas secas, pouco movimentada e era tambem o ponto mais alto daquele lugar . Descansou , enquanto sua mente a levava pra distante dali , mas com a mesma paz de estar sozinha. Pensou em como gostaria de estar longe daquelas pessoas, daquele lugar , daquele tempo ... Se sentia confusa e debilitada em seu seu próprio campo de batalha , sua vida. Era como se tudo aquilo que ela viveu fosse uma grande mentira, algo forjado , combinado . Não havia espontaniedade . Havia diminuído o tom de alegria na voz e até mesmo suas palavras ja eram tão poucas , sem sabor . Não havia nada . Nem paixão , nem impolgação de começo , nem bilhetes e muito menos o tal do amor ... ' Mas tudo bem ' - pensou ela - ' eu sei sobreviver sem esse tal de amor ' .
Amigos ? Poucos , bem poucos . Podia contar nos dedos da mão direita aqueles que de verdade , nunca a magoaram ou fizeram do seu momento ' offline ' motivo de reclamações ou insatisfações ; só a entendiam e a amavam . É , não podia ser assim.
Cansou-se ... Precisava voltar e encarar as coisas que de fato aconteciam. Olhou ao redor como se desse um adeus aquele lugar , qe sentia seu , e foi .

Um comentário:

Fabiane disse...

É, não faça daquele lugar sua moradia.