terça-feira, 15 de setembro de 2009

Ócio Fácil.

Sempre que desocupo a mente das responsabilidades , leio textos.
Leio, releio. Textos de conhecidos , de amores , de escritores famosos ... de amigos , de colegas.
Esse ócio me faz ter uma necessidade de resposta ; é quase instatâneo : as ideias começam a se formar na minha mente e têm uma necessidade enorme de serem decodificadas em letras .
Alguns desses textos falam sobre o ser humano : que (na opinião do autor) é um ser extremamente ruim, qe engana , que mata , que fere e mente. Me perguntei quem não é?
E esse autor não é tambem , um desses seres ?
É como se ele se colocasse numa condição superior e apontasse ' - aquele ali não é digno ' .
Todos nós, temos essa condição : errar , ser ruim , ser mau . Sim. Mas não é só.
Temos a condição do acerto as vezes , do erro inocente , do ato que não foi planejado pra matar , magoar. As vezes agimos com amor , com altruísmo até.
Muitos estão falando do ser humano como uma coisa repugnante . E as vezes, até são.
Mas e ver o lado bom ?

Essas opiniões me remoem , na certeza de que eu não posso entrega-las ao autor desses textos, que eu discordo .
Preciso sair daqui ...
Vou embora.
Fico contando as horas , os minutos pra ir.
Ir em algum lugar , ser alguém que eu quero ser.
Fazer minha escolhas e esqecer dessas letras mesquinhas.
Não quero ficar.
Meu lugar não é aqui.
Tempo, passe !
Passe logo , passe rápido . Tem muitas coisas que dependem de você.


3 comentários:

Jonatan Bissoli disse...

É por isso que eu prefiro escrever e ao mesmo tempo questionar, fica bem mais facil. Macetinho basico ;) rs
Gostei do Post e aliás conheço este click. :D
beeeeeeijosss;*

Fabiane disse...

Tempo, passe.
Isa, faça dar certo.

Fabiane disse...

Por outro lado, o nosso BOM lado, o autruísta... pode ter lá suas dúvidas.
A cada vez que fazemos uma boa ação, nem que seja ajudar alguém pegando seus livros que caíram no chão, ativamos uma área prazerosa no cérebro, a que dá mais alívio e bem estar que qualquer outra área.
Pois então, perguntam os cientistas, isso não passa de um meio para nos confortarmos? mais um meio egoista de prazer?
Uma recompensa do nosso próprio cérebro para as coisas boas que fazemos sem pedir nada em troca?
Cabe a nós decidirmos o nosso certo e o nosso errado.
Mas que é estranho, é!