quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ponto de partida

Há um descontentamento e você pode vê-lo nos meus olhos
Este reflexo nunca foi meu , essas lembranças e esse corpo
Reconheço as cicatrizes , mas estas lágrimas não são minhas.
Estou te ouvindo no outro lado da sala , está escuro mas eu posso definir teus contornos.
Os desejos que estiveram na ponta dos dedos estão agora escorrendo
Caíram no vão , perdidos de vista.
As palavras que passeam por cima dos ombros já estão caladas.
Atiradas ao chão e logo recolhidas,
Estas palavras não são minhas.
Não me reconheço.
Não reconheço você , teu rosto cansado transparece teu coração, tambem cansado.
A quem você quer enganar ?
O que está fazendo, meu bem?
Pode correr pros meus abraços ,
Eles são seus. Sempre foram.

Nenhum comentário: