domingo, 18 de julho de 2010

Por nós

Não sei bem o que é. Me faz andar na chuva, sair de casa com frio, ser mais quente, mais gente, mais humana. Eu não sei o que é, mas quando olho me da vontade de sorrir. E rir, mesmo que seja algo serio, só porque eu gosto do jeito como fala.
Não dá pra saber.
E se eu puxar a cadeira pra voce sentar perto.Se ficar impaciente, olhando pros lados, pra ver se voce ja vem. Porque, meu bem, eu fico feliz.
Não sei o que é. Me faz querer ligar, ficar, prolongar.
Logo eu, que ja tinha jurado não mais sentir assim. Sei que voce tambem se assusta. Me sinto boba.
Se alguem souber, me diz o que é.
 Essa ansiedade, essa vontade de encontrar, esse meu medo de ficar assim tão em paz comigo. Isso de querer sentir o cheiro, de estar perto, de conversar coisas banais e não me sentir tão largada por ai.
Querer brincar, sem parar, com nuca, mãos, pele. E deixar marcas.
Achar graça nas Havaianas, no corte irregular, nas pintas contrastadas com o branco. Vontade de arrumar um apelido pra te chamar.E que seja só meu. Nosso.
Alguém ai sabe me dizer?
É que eu quero cantarolar baixinho alguma coisa e pensar que é a nossa musica. Porque , voce só vive uma vez, meu amor.
Se alguem souber o que é, por favor, deixe um bilhete com letras grandes na porta da geladeira. É urgente.
Ou eu posso acabar por me entregar.

2 comentários:

Ella disse...

Engraçado, "acho" que isso pode se chamar paixão... Dá um medo de entregar-se, mas como viver se não se entregar?
Medo todos temos, mas o que há de melhor para fazer com o medo doq vencê-lo?

Ivan Kolberg disse...

Ainda não inventaram juras que resistam... Belo texto!