quarta-feira, 30 de março de 2011

Algumas coisas só acontecem porque a gente deixa. Eu gosto de Caetano, quando ele diz: " Quando a gente gosta, é claro que a gente cuida ". Deixe ser cuidado. Deixe-se amar.
Meu telefone não toca no fim dos dias. Sabe-se lá que horas termina os meus dias.
 Eles nunca terminam. São semanas inteiras, dias inteiros contados juntamente. Sei lá.
Eu sou a mesma garota do subúrbio. A mesma garota carente do subúrbio. Me entenda: não são só bobagens.
Nos respeitar, nos permitir, nos encontrar. Por amor.
Em um canto ou em todos os cantos.
Me esqueça. Eu nunca vivi.
E essas, são só coisas (sem sentido) que você não vai querer ler.

2 comentários:

Will disse...

Podemos nos permitir entender ou nos fazer entendidos...

Ella disse...

Isa... Vc ainda ta na Rural? É a da posse? Estuda/estudava em que turno?