domingo, 26 de junho de 2011

Under control

Eu tinha a sensação de ser feliz ali. Não era por nada demais, mas eu me sentia completa naqueles domingos chuvosos, de música no seu quarto. Nas conversas longas sobre nada, nos silêncios gritados. Em sentir saudade só por ir na cozinha. A vontade de nunca mais largar, nunca mais ir embora. A vontade de entrar nos teus  olhos, me colar no teu corpo, ser teu pensamento dia e noite. A vontade de unir minha vida a tua, de ser tua. De guardar em mim tua alma.
Ali, naqueles domingos, meus planos de vida se modificavam e eu tinha vontade só de te chegar em casa todos os dias as 6h da tarde e encontrar você tentando cozinhar alguma coisa pra janta. De ouvir tua risada empolgada, e ver você animado com o show do Stone Temple Pilots.
Nesses domingos, eu só queria mesmo era ter visto Simpsons com você a madrugada inteira do sábado e passar todas as outras manhãs, tardes, segundas, natais, feriados, dias de tiradentes com você.
 E eu te amei só por você ser você. Só pelos teus erros impagáveis, tuas desculpas, tuas crises. Eu te amei pela tua teimosia e pelo teu amor. Eu te amei. Obrigada, por ter me deixado saber o que é amar.

5 comentários:

Ella disse...

Amou? Assim, no passado? =/

Ivan Kolberg disse...

Depois de ler, dei um longo suspiro...

Thaise L. Pinto disse...

Se eu fosse o amado, estaria batendo com a cabeça na parede, nesse exato momento.

Rui disse...

amém!

Dante Garibaldi disse...

Tinha me esquecido como é gostoso ler teus textos. São muito bons! Saborosos!